Projeto de contrapartida do programa Música Minas, "Uganga Oficinas Musicais" acontece gratuitamente nessa semana em Araguari

Depois de ter visitado a Europa e várias cidades no Brasil, inclusive com shows ao lado do Exodus e Coroner, a turnê em divulgação ao álbum "Opressor", do Uganga, chegou ao fim no último mês de Dezembro. Foram cerca de 50 shows, entre eles duas das últimas datas que a banda realizou no Nordeste no Festival DoSol em Mossoró/RN e no Good Times Pub Bar em Campina Grande/PB.

A oportunidade do Uganga encerrar a turnê de "Opressor" no Nordeste surgiu a partir do patrocínio do "Programa Música Minas", iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, por intermédio da Secretaria de Estado de Cultura, que visa apoiar a cadeia criativa e produtiva da música mineira.

De acordo com o baterista Marco Henriques, iniciativas como o Programa Música Minas são essenciais para grupos como o Uganga poderem viabilizar projetos de circulação e difusão.
"O Brasil é um país territorialmente muito grande e nem sempre as condições são favoráveis para se realizar projetos de circulação em todos os estados brasileiros.
Iniciativas como o Música Minas ajudam muito nesse sentido, beneficiando não só os artistas patrocinados mas todo o público em geral ao democratizar o acesso a cultura".

Como contrapartida ao incentivo recebido pelo Música Minas, os seis integrantes do Uganga realizam nesta semana em Araguari, no Triângulo Mineiro, uma série de oficinas musicais. Serão quatro oficinas gratuitas diferentes: Guitarra, Contrabaixo, Bateria & Percussão e Estética/Métrica Vocal e Produção Musical. Todas serão ministradas pelos próprios integrantes do Uganga e baseadas nas experiências reais e bem-sucedidas vividas com a banda ao longo de mais de 20 anos de carreira.

As oficinas serão realizadas no Vitrola Ambiente Cultural (Rua Rui Barbosa, 103 - Centro - Araguari/MG) nas seguintes datas e horários:
01/02 das 19:00 às 21:00 - Guitarra com Christian Franco, Thiago Soraggi e Maurício "Murcego" Pergentino;
02/02 das 19:00 às 20:30 - Contrabaixo com Raphael "Ras" Franco;
02/02 das 20:30 às 22:00 -  Bateria e Percussão com Marco Henriques;
05/02 das 18:00 às 20:00 - Estética/Métrica Vocal e Produção Musical com Manu "Joker" Henriques + Pocket-Show do Uganga.

As oficinas são voltadas aos músicos da cidade e região e ainda é possível se inscrever através do email ugangabr@gmail.com ou pelo telefone (34) 3241-0125. Para se inscrever basta informar nome completo, RG, CPF, endereço, telefone e a oficina desejada.



Assista vídeo de "Couro Cru" com imagens do DVD "Manifesto Cerrado"

Financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari, o DVD celebra os 20 anos de carreira da banda mineira e vai reunir show inédito e um documentário de longa-metragem


O tempo é preponderante no rock 'n' roll. Queiramos ou não, a soberania do clássico chega a ser ditatorial diante do contemporâneo. Tentar destituir os Beatles e os Rolling Stones do poder é como profanar o sagrado. De forma que muitas bandas contemporâneas não fazem mais do que aglutinar papéis coadjuvantes numa perpetuação decrescente do velho rock 'n' roll.

"Manifesto Cerrado", o primeiro DVD do Uganga, é sim amparado pelo fator tempo. Afinal, ele foi produzido para celebrar os 20 anos de carreira do grupo. Mas sua relevância cultural e artística não se alicerça na simples contagem de sete mil e 300 dias passados desde o surgimento da banda, mas no que o grupo produziu ao longo desse período e que os colocou em posição de protagonismo na renovação do novo rock pesado. É claro, com respeito - quase religioso - aos mestres do passado.

"Manifesto Cerrado não é mero título. Esse DVD é, de fato, um manifesto: de sobrevivência; de superação; de renovação". Essas palavras são de Manu Joker, vocalista e membro fundador do Uganga, cuja trajetória individual ainda soma gloriosos anos ao lado do Sarcófago, lenda mundial do Black/Death Metal.

Financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari/MG, "Manifesto Cerrado" é composto por duas premissas. A primeira é um documentário de longa-metragem que tem sim a intenção de contar a história da banda, mas a partir de uma narrativa moderna e quase interativa, prospectando o futuro.

Não menos importante que o documentário é o show inédito que também acompanha o DVD. Realizado em Araguari, mais especificamente na histórica estação ferroviária Stevenson (construída em 1927 às margens da rodovia que liga Uberlândia e Araguari), o show contou com presença maciça de amigos e familiares da banda. Em formação circular, nessa noite o grupo executou uma das mais emblemáticas, introspectivas e expressivas performances de sua carreira.
"O show da estação Stevenson é o ápice do nosso renascimento como banda", conta Joker. "Naquela noite acabamos com as dúvidas que poderiam haver sobre se continuaríamos ou não. Ali, em casa, cercados pelos nossos amigos mais próximos, familiares, no nosso momento de maior fraqueza, a banda se reencontrou. É aquilo: para perceber o entorno é preciso olhar pra dentro primeiro."  

Um vídeo de "Couro Cru", antiga composição do Uganga, foi disponibilizado com cenas dessa apresentação. Um aperitivo para os fãs enquanto o DVD não é lançado.
"Couro Cru é uma música bem antiga, senão me engano ela foi composta para a primeira demo de 1998 e foi a música que apresentamos no Ultra-Som da MTV no ano seguinte. Depois a gravamos no nosso primeiro álbum "Atitude Lotus" (2002), mas sempre achei que ela merecia uma versão mais pesada, tanto é que iremos regrava-la no próximo álbum do Uganga. Essa versão do DVD ainda conta com apenas duas guitarras e teve novamente nosso parceiro Eremita nas pick-ups detonando tudo. O cara é com certeza um dos melhores do estado na função! Esse som registra um momento de transição e renascimento da banda, nos mostra saudando o passado e olhando para o futuro. Acho que esse vídeo fecha um ciclo e inaugura outro e a letra trata de algo muito comum aqui na nossa região que é a Folia De Reis", concluiu Joker.

Assista o vídeo de "Couro Cru":



Produzido e dirigido por Eddie Shumway, o DVD "Manifesto Cerrado" será lançado em Fevereiro através de plataformas digitais. A sua versão física em DVD sai em Março pela Sapólio Rádio.

Manifesto Cerrado: assista teaser do primeiro DVD do Uganga que reúne documentário de longa-metragem e show inédito

Financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari, o DVD celebra os 20 anos de carreira da banda mineira



O tempo é preponderante no rock 'n' roll. Queiramos ou não, a soberania do clássico chega a ser ditatorial diante do contemporâneo. Tentar destituir os Beatles e os Rolling Stones do poder é como profanar o sagrado. De forma que muitas bandas contemporâneas não fazem mais do que aglutinar papéis coadjuvantes numa perpetuação decrescente do velho rock 'n' roll.

"Manifesto Cerrado", o primeiro DVD do Uganga, é sim amparado pelo fator tempo. Afinal, ele foi produzido para celebrar os 20 anos de carreira do grupo. Mas sua relevância cultural e artística não se alicerça na simples contagem de sete mil e 300 dias passados desde o surgimento da banda, mas no que o grupo produziu ao longo desse período e que os colocou em posição de protagonismo na renovação do novo rock pesado. É claro, com respeito - quase religioso - aos mestres do passado.

"Manifesto Cerrado não é mero título. Esse DVD é, de fato, um manifesto: de sobrevivência; de superação; de renovação". Essas palavras são de Manu Joker, vocalista e membro fundador do Uganga, cuja trajetória individual ainda soma gloriosos anos ao lado do Sarcófago, lenda mundial do Black/Death Metal.

Financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) da cidade de Araguari, no triângulo mineiro, o DVD "Manifesto Cerrado" é composto por duas premissas. A primeira é um documentário de longa-metragem que tem sim a intenção de contar a história da banda, mas a partir de uma narrativa moderna e quase interativa, prospectando o futuro.
"Nessas mais de duas décadas na estrada vivemos muita coisa", continua Joker. "Passamos grande parte de nossas vidas tocando no Uganga. Apesar do documentário tratar de toda nossa trajetória, ele foca mais no período entre a pré-produção do álbum 'Opressor', por volta de 2012, até hoje. E com certeza considero esse período o mais importante desde que formei a banda em 1993. Durante esse tempo gravamos nosso trabalho mais forte, fizemos nossa segunda turnê pela Europa e outra tour incrível pelo Brasil, tocamos com alguns ídolos e aprendemos muito. Convivemos com diferenças, desgastes, vida e morte. O documentário marca, a meu ver, um renascimento para o Uganga, tanto na formação quanto na unidade, além de apontar para o nosso futuro".

Não menos importante que o documentário é o show inédito que também acompanha o DVD. Realizado em Araguari, mais especificamente na histórica estação ferroviária Stevenson (construída em 1927 às margens da rodovia que liga Uberlândia e Araguari), o show contou com presença maciça de amigos e familiares da banda. Em formação circular, nessa noite o grupo executou uma das mais emblemáticas, introspectivas e expressivas performances de sua carreira.
"O show da estação Stevenson é o ápice do nosso renascimento como banda", conta Joker. "Naquela noite acabamos com as dúvidas que poderiam haver sobre se continuaríamos ou não. Ali, em casa, cercados pelos nossos amigos mais próximos, familiares, no nosso momento de maior fraqueza, a banda se reencontrou. É aquilo: para perceber o entorno é preciso olhar pra dentro primeiro."

Direção e produção de "Manifesto Cerrado" são assinadas por Eddie Shumway, cineasta mineiro que há muito tempo vem produzindo a maioria dos trabalhos audiovisuais do Uganga.
"Esse trabalho levou quatro anos pra ficar pronto. Fiquei muito feliz também por ter tido a oportunidade de colaborar com o Eddie na edição. Ele é um cara muito próximo da banda, trabalhamos bem juntos e ele tem uma visão interessante e neutra do Uganga. Temos muito orgulho de mais esse trabalho e em 2017 várias outras páginas serão escritas", finalizou, orgulhoso, Joker.

"Manifesto Cerrado" será lançado em Fevereiro de 2017 através de plataformas digitais. A sua versão física em DVD sai em Março pela Sapólio Rádio.

Assista o teaser:






Patrocinado pelo Programa Música Minas, Uganga realiza shows pelo Nordeste neste fim de semana

Destaque entre as apresentações será o show que o grupo faz sábado no Festival DoSol em Mossoró



Depois de ter visitado a Europa e várias cidades no Brasil, inclusive com shows ao lado do Exodus e Coroner, a turnê em divulgação ao álbum "Opressor", do Uganga, está chegando ao fim. Totalizando cerca de 50 shows, não haveria melhor maneira para o Uganga finalizar essa turnê do que estreando nos palcos do Nordeste.

O vocalista Manu "Joker" Henriques, os guitarristas Christian Franco, Thiago Soraggi e Maurício "Murcego" Pergentino, o baixista Raphael "Ras" Franco e o baterista Marco Henriques embarcam este fim de semana para realizarem dois shows pelo Nordeste: sábado dia 19/11 no Festival DoSol em Mossoró/RN e domingo dia 20/11 no Good Times Pub Bar em Campina Grande/PB.

A oportunidade do Uganga encerrar a turnê de "Opressor" no Nordeste surgiu a partir do convite para se apresentarem no Festival DoSol, um dos mais importantes do Brasil que esse ano chega a sua 13ª edição. Além de Mossoró e Natal - onde acontece a edição matriz -, outras 12 cidades de cinco estados diferentes recebem o festival, totalizando mais de 170 atrações. Em Mossoró, o Festival DoSol ocorre no Clube Carcará a partir das 15:00 com entrada franca. Além do Uganga, também se apresentam The Kendolls, da Suécia, o grupo português Killimanjaro, além de Monster Coyote, Black Witch, Five Minutes to Go, entre outros.

Não menos importante será o outro show que o Uganga realiza em Campina Grande como atração principal. O show será realizado no Good Times Pub Bar (Rua Félix Araújo, 151a) a partir das 15:00 e também se apresentarão as bandas Devilisheim, Vinculum e Bufalo. Os ingressos custam R$ 15,00 (Antecipado) e R$ 25,00 (Na Hora).

Para realizar essa turnê o Uganga recebeu patrocínio do "Programa Música Minas", iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, por intermédio da Secretaria de Estado de Cultura, que visa apoiar a cadeia criativa e produtiva da música mineira. De acordo com o baterista Marco Henriques, iniciativas como o Programa Música Minas são essenciais para grupos como o Uganga poderem viabilizar projetos de circulação e difusão.
"O Brasil é um país territorialmente muito grande e nem sempre as condições são favoráveis para se realizar projetos de circulação em todos os estados brasileiros.
Iniciativas como o Música Minas ajudam muito nesse sentido, beneficiando não só os artistas patrocinados mas todo o público em geral ao democratizar o acesso a cultura".



Uganga divulga datas de turnê pelo Nordeste em Novembro

UGANGA - OPRESSOR: NORDESTE TOUR - 2016
17/11 @ Casarão do Benfica - Fortaleza/CE
18/11 @ Fast Pizza - Natal/RN
19/11 @ Festival DoSol - Mossoró/RN
20/11 @ Clube da Bolsa - Campina Grande/PB  

#thrashcoreatitude