Com patrocínio do Wacken Foundation, Uganga inicia gravações de novo álbum, "Servus"

Em mais de 20 anos de carreira, o Uganga lançou cinco álbuns – alguns licenciados no exterior –, fez duas turnês pela Europa, centenas de shows por quase todas as regiões do Brasil e mais recentemente lançou seu primeiro DVD. Boa parte dessas produções do Uganga, sejam projetos de gravação ou circulação (turnês), têm recebido incentivo através de políticas públicas de cultura, comprovando a relevância do trabalho da banda, seja em seu sentido artístico/subjetivo ou social.

E o dia 26 de Outubro marca o início das gravações do novo álbum do grupo, intitulado “Servus”, que será mais uma vez patrocinado por um programa de incentivo à cultura, dessa vez um internacional, o Wacken Foundation.



O Wacken Foundation é uma organização alemã sem fins lucrativos criada para apoiar projetos de hard rock e heavy metal de todas as partes do mundo. A organização foi idealizada em 2008 pelos produtores do Wacken Open Air (W:O:A), o maior festival de hard rock e heavy metal do planeta, e tem a missão de manter ativa a produção criativa nesse segmento e estimular novas bandas e projetos. Desde 2010 o Wacken Foundation passou a fazer contribuições em Euros para projetos de gravações de discos, turnês e até mesmo festivais. Os projetos podem ser enviados durante todo o ano e uma comissão de curadores avaliam os mais relevantes que virão a receber o apoio. A vocalista alemã Doro Pesch figura entre a equipe de curadores. Entre os doadores estão nomes como o de Alice Cooper que fez recentemente uma doação de US$ 10 mil à fundação.

O Uganga apresentou um projeto de gravação de “Servus” ao Wacken Foundation no começo desse ano e foi contemplado com uma soma em Euros que vai ajudar a financiar a produção.
A parceria com o Wacken Foundation foi mais uma vitória da banda e equipe à custa de muito suor, estrada, planejamento e amor à camisa” – declarou o vocalista Manu Joker.

“Servus” será o quinto disco de estúdio do Uganga e será gravado no estúdio Rock Lab em Goiânia onde a banda registrou seu disco anterior, o aclamado “Opressor”. A produção será assinada por Gustavo Vazquez e pelo próprio Manu Joker.

"Os nomes dos álbuns do Uganga sempre aparecem logo no início do processo, algumas vezes antes mesmo de qualquer música ou arranjo. A parada vem de uma vez, tipo psicografada, e com o Servus não foi diferente”, explica Joker sobre o título do novo trabalho. “O conceito tem a ver com duas coisas distintas: escravidão e respeito. Servus em latim quer dizer "escravo" e é uma representação das referências históricas que vêm nos inspirando neste trabalho, entre elas a ascensão e queda do império romano. A questão do respeito tem a ver com servir. Não no sentido serviçal, adulador, mas sim servir ao próximo como um semelhante sem esperar nada em troca. Acredito que somos parte de um todo muito maior e que precisamos trabalhar juntos pela sua continuidade."

O Uganga publicará fotos e vídeos em suas mídias sociais com mais informações sobre o andamento das  gravações.

Entre outras novidades, o DVD “Manifesto Cerrado”, lançado recentemente em versão digital, vai ganhar sua edição física em Dezembro. Lançado para celebrar os 20 anos de carreira do grupo, “Manifesto Cerrado” reúne um documentário de longa-metragem que conta a história da banda e um show inédito realizado na histórica estação ferroviária Stevenson em Araguari/MG. "Manifesto Cerrado" foi financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari/MG e o seu lançamento online, totalmente gratuito, é uma tentativa de ampliar e democratizar o acesso ao material produzido.

Assista online o documentário:



Assista também o show na estação ferroviária Stevenson:



Assista o vídeo de "Damage Case" do Motörhead

“Regravar Damage Case foi uma honra indescritível! Todos no Uganga amam Motörhead, é umas das minhas maiores influências com certeza, e poder registrar um som da fase clássica com Lemmy, Phill Animal e Fast Eddie foi mais foda ainda! Pra coisa ficar melhor, no dia da gravação, no estúdio Rocklab em Goiânia, o álbum Overkill (de onde saiu Damage Case) estava completando 38 anos. Tudo alinhado! Agradeço ao pessoal da gravadora Secret Service por nos ter convidado para participar do tributo ao lado de tantas bandas legais. Ficamos bastante satisfeitos com nossa versão e esperamos que as pessoas também curtam pois colocamos nossa alma ali.”

As palavras acima são de Manu Joker, vocalista do Uganga – e que um dia também esteve atrás do kit de bateria do Sarcófago, nunca é demais lembrar.

Ele se refere a versão que o Uganga gravou para “Damage Case” do Motörhead que está no CD “Going To Brazil – The Brazillian Tribute To Motörhead” lançado pela gravadora britânica Secret Services Records e que além do Uganga traz outras bandas brasileiras relevantes em suas próprias versões para outros clássicos do Motörhead.


Gravar sua própria versão para “Damage Case” foi tão simbólico para o Uganga que o baixista Raphael “Ras” Franco editou um videoclipe que inclui cenas das gravações. Assista abaixo: 


O programa Underdose, que também é apresentado por Manu Joker, acabou de disponibilizar seu 40º episódio com outros detalhes das gravações desse tributo ao Motörhead. Para assistir, acesse: https://youtu.be/ji2qGgKg7b8

Entre outras novidades, neste domingo, dia 01/10, o Uganga será uma das principais atrações do Festival Triangulice que acontece na praça Getúlio Vargas no centro de Araguari/MG. O festival será realizado em dois dias e vai reunir 10 bandas no total. No domingo, segundo dia de festival, além do Uganga também se apresentam Revolta Blues, André Salomão, Multus e a banda vencedora do concurso Triangulice. A entrada é franca e além dos shows o público poderá contar com praça de alimentação com food trucks, feira de adoção de animais, stands de marcas alternativas, entre outras atrações paralelas.

Ainda sobre mais novidades, dentro de poucas semanas o Uganga entra em estúdio para gravar seu novo álbum. Para as gravações a banda recebeu patrocínio do Waken Foundation, organização alemã sem fins lucrativos idealizada em 2008 pelos produtores do Wacken Open Air (W:O:A), com o objetivo de apoiar bandas de hard rock e heavy metal de todo mundo.

Depois de anunciar patrocínio do Wacken Foundation, Uganga é confirmado como atração do Goiânia Noise Festival

Se a notícia do patrocínio do Wacken Foundation não bastasse para levar às alturas a adrenalina dos músicos antes de entrarem em estúdio para gravar o sucessor de "Opressor", o Uganga também foi confirmado como uma das atrações do Goiânia Noise, um dos mais importantes festivais de música independente do Brasil e que esse ano chega a sua 23ª edição, sendo realizado de 18 a 20 de Agosto no Jaó Music Hall na capital do estado de Goiás.

O Uganga toca na primeira noite, dia 18, e dividirão o palco com Camisa de Vênus, Project46, Canábicos, Mice Mob, Bob Malmstrom entre outros.

Além da apresentação no Goiânia Noise Festival, o Uganga também já está escalado para se apresentar em outros dois festivais esse ano, o Timbre Music em Uberlândia/MG e o Rural Fest Open Air em Lagamar/MG, ambos em Outubro.



Novo álbum do Uganga será patrocinado pelo Wacken Foundation

Em mais de 20 anos de carreira, o Uganga lançou cinco álbuns – alguns licenciados no exterior –, fez duas turnês pela Europa, centenas de shows por quase todas as regiões do Brasil e mais recentemente lançou seu primeiro DVD. Boa parte dessas produções do Uganga, sejam projetos de gravação ou circulação (shows e turnês), têm recebido incentivo através de políticas públicas de cultura, comprovando a relevância do trabalho da banda, seja em seu sentido artístico/subjetivo ou social.

Às vésperas de entrar em estúdio para dar início às gravações de seu próximo álbum, o grupo recebeu a notícia de que será mais uma vez patrocinado por um programa de apoio à cultura, dessa vez um internacional, o Wacken Foundation.

O Wacken Foundation é uma organização alemã sem fins lucrativos criada para apoiar projetos de hard rock e heavy metal de todas as partes do mundo. A organização foi idealizada em 2008 pelos produtores do Wacken Open Air (W:O:A), o maior festival de hard rock e heavy metal do planeta, e tem a missão de manter ativa a produção criativa nesse segmento e estimular novas bandas e projetos. Desde 2010 o Wacken Foundation passou a fazer contribuições em Euros para projetos de gravações de discos, turnês e até mesmo festivais. Os projetos podem ser enviados durante todo o ano e uma comissão de curadores avaliam os mais relevantes que virão a receber o apoio. A vocalista alemã Doro Pesch figura entre a equipe de curadores. 



Prevendo o início das gravações de seu novo disco de estúdio para o segundo semestre, o Uganga apresentou um projeto ao Wacken Foundation no começo desse ano e foi contemplado com uma soma em Euros que vai ajudar a financiar a produção. O grupo mineiro é a segunda banda brasileira a ser patrocinada pelo Wacken Foundation.
“A parceria com o Wacken Foundation foi mais uma vitória da banda e equipe à custa de muito suor, estrada, planejamento e amor à camisa” – declarou o vocalista Manu Joker. “Trata-se do maior festival do planeta terra! Por sermos uma banda latino-americana tocando em um país como o Brasil e todas as suas dificuldades, essa ajuda financeira torna-se ainda mais bem-vinda. Só de ter o logo do Wacken no trabalho já nos deixou honrados. Se pessoas ligadas ao Wacken se interessaram pela gente, então nosso trabalho está valendo a pena. Às vezes a estrada de um grupo de rock pesado brasileiro é muito dura e você pode ficar um pouco desanimado com as dificuldades, mas enquanto nos for permitido seguiremos fazendo o que mais amamos e buscando formas para crescer como banda e pessoas.”

Para o gestor/manager do Uganga, Eliton Tomasi, programas como o Wacken Foundation são essenciais para a nova realidade da comunidade metal de todo o mundo.
“Não é novidade que o mercado para esse tipo de música tornou-se mínimo nos últimos anos”, comenta Tomasi. “As poucas gravadoras europeias e americanas que ainda investem nesse segmento de som pesado têm se limitado às bandas já consagradas. Isso faz com que a produção criativa fique estagnada, sem renovação. E a falta de novas bandas, com novas ideias, contribuem para um engessamento do movimento como um todo, seja a partir de sua concepção estética-artística ou no que se refere a formação de público, razão pela qual não há muito mais jovens em shows de metal por todo o mundo. Os organizadores do Wacken Open Air demonstram cultivar um pensamento responsável com relação a esse movimento cultural que é o heavy metal, e a idealização do Wacken Foundation é uma louvável alternativa para manter o hard rock e o heavy metal pulsante e criativo, seja a curto ou a longo prazo. Além de sua conveniência econômica, o Wacken Foundation tem um valor simbólico muito significativo por ser um exemplo da força que o pensamento e trabalho colaborativo podem vir a ter frente a filosofia competitiva e mercantilista que predominam na contemporaneidade metaleira”. 

O novo disco do Uganga que receberá o patrocínio do Wacken Foundation já tem título definido. Cerca de 90% do material já está pronto. Mais novidades sobre o novo trabalho e a parceria com o Wacken Foundation serão anunciadas em breve.

Assista online “Manifesto Cerrado”, longa-metragem que conta a história de 20 anos do Uganga

"Manifesto Cerrado" é o título do primeiro DVD do Uganga que celebra os 20 anos de carreira do grupo. O projeto reúne um documentário de longa-metragem que conta a história da banda e um show inédito realizado na histórica estação ferroviária Stevenson em Araguari/MG. "Manifesto Cerrado" está sendo lançado tanto em formato físico como também disponibilizado online, totalmente gratuito, numa tentativa de ampliar e democratizar o acesso.

Assista online o documentário:



Assista também o show na estação ferroviária Stevenson:


Financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari, "Manifesto Cerrado" é, nas palavras do vocalista Manu “Joker”, “um manifesto de sobrevivência, superação e renovação."

O show na estação Stevenson (construída em 1927 às margens da rodovia que liga Uberlândia e Araguari), não foi aberto ao público e contou apenas com presença de amigos e familiares da banda. Em formação circular, nessa noite o grupo executou uma das mais emblemáticas, introspectivas e expressivas performances de sua carreira.

"O show da estação Stevenson é o ápice do nosso renascimento como banda", conta Joker. "Naquela noite acabamos com as dúvidas que poderiam haver sobre se continuaríamos ou não. Ali, em casa, cercados pelos nossos amigos mais próximos, familiares, no nosso momento de maior fraqueza, a banda se reencontrou. É aquilo: para perceber o entorno é preciso olhar pra dentro primeiro."
Já o documentário de longa-metragem remonta sim ao passado da banda, porém a partir de uma narrativa contemporânea.

"Nessas mais de duas décadas na estrada vivemos muita coisa", continua Joker. "Passamos grande parte de nossas vidas tocando no Uganga. Apesar do documentário tratar de toda nossa trajetória, ele foca mais no período entre a pré-produção do álbum 'Opressor', por volta de 2012, até hoje. E com certeza considero esse período o mais importante desde que formei a banda em 1993. Durante esse tempo gravamos nosso trabalho mais forte, fizemos nossa segunda turnê pela Europa e outra tour incrível pelo Brasil, tocamos com alguns ídolos e aprendemos muito. Convivemos com diferenças, desgastes, vida e morte. O documentário marca, a meu ver, um renascimento para o Uganga, tanto na formação quanto na unidade, além de apontar para o nosso futuro".

Direção e produção de "Manifesto Cerrado" são assinadas por Eddie Shumway.
A versão física do DVD com lançamento pela Sapólio Rádio estará disponível no mês de Julho.

Lançamento do DVD "Manifesto Cerrado" no Museu da Imagem e do Som em BH e show com o Heavenless em Uberaba

"Manifesto Cerrado", o primeiro DVD do Uganga que celebra os 20 anos de carreira do grupo, será oficialmente lançado no dia 08 de Junho em exibição na “Mostra Minas no Metal”, evento paralelo ao festival “Monster Of Metal” e que acontece no Museu da Imagem e do Som (MIS) / Cine Santa Tereza, localizado no tradicional bairro Santa Tereza em Belo Horizonte. A exibição acontece a partir das 19:30 com entrada franca.
Financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari, "Manifesto Cerrado" reúne documentário de longa-metragem que conta a história da banda e um show inédito realizado na histórica estação ferroviária Stevenson em Araguari/MG, que já havia sido lançado online em Março (Para assistir, acesse: https://youtu.be/vMtQBqmoNrM).

"Manifesto Cerrado não é mero título. Esse DVD é, de fato, um manifesto: de sobrevivência; de superação; de renovação". Essas palavras são de Manu “Joker”, vocalista e membro fundador do Uganga. 

O show na estação Stevenson (construída em 1927 às margens da rodovia que liga Uberlândia e Araguari), contou com presença maciça de amigos e familiares da banda. Em formação circular, nessa noite o grupo executou uma das mais emblemáticas, introspectivas e expressivas performances de sua carreira.
"O show da estação Stevenson é o ápice do nosso renascimento como banda", conta Joker. "Naquela noite acabamos com as dúvidas que poderiam haver sobre se continuaríamos ou não. Ali, em casa, cercados pelos nossos amigos mais próximos, familiares, no nosso momento de maior fraqueza, a banda se reencontrou. É aquilo: para perceber o entorno é preciso olhar pra dentro primeiro." 



Já o documentário de longa-metragem conta a história da banda a partir de uma narrativa moderna.
"Nessas mais de duas décadas na estrada vivemos muita coisa", continua Joker. "Passamos grande parte de nossas vidas tocando no Uganga. Apesar do documentário tratar de toda nossa trajetória, ele foca mais no período entre a pré-produção do álbum 'Opressor', por volta de 2012, até hoje. E com certeza considero esse período o mais importante desde que formei a banda em 1993. Durante esse tempo gravamos nosso trabalho mais forte, fizemos nossa segunda turnê pela Europa e outra tour incrível pelo Brasil, tocamos com alguns ídolos e aprendemos muito. Convivemos com diferenças, desgastes, vida e morte. O documentário marca, a meu ver, um renascimento para o Uganga, tanto na formação quanto na unidade, além de apontar para o nosso futuro". 

Direção e produção de "Manifesto Cerrado" são assinadas por Eddie Shumway, cineasta mineiro que há muito tempo vem produzindo a maioria dos trabalhos audiovisuais do Uganga. 
"Esse trabalho levou quatro anos pra ficar pronto. Fiquei muito feliz também por ter tido a oportunidade de colaborar com o Eddie na edição. Ele é um cara muito próximo da banda, trabalhamos bem juntos e ele tem uma visão interessante e neutra do Uganga. Temos muito orgulho de mais esse trabalho e em 2017 várias outras páginas serão escritas", finalizou, orgulhoso, Joker. 

A segunda parte de "Manifesto Cerrado" com o documentário longa-metragem estará disponível no Youtube a partir do dia 12 de Junho. Já a versão física do DVD com lançamento pela Sapólio Rádio também estará disponível ainda no mês de Junho.
Entre outras novidades, o Uganga faz um show nesta próxima quinta-feira, dia 27 de Abril, durante o retorno da “Festa União”, uma das mais tradicionais do rock independente de Uberaba/MG. Na ocasião também se apresenta a banda de death metal Heavenless de Mossoró/RN, além de discotecagens com o DJ Eremita e Manu “Joker”. A festa acontece no Favela Chic (Av. Santos Dumont, 2039) a partir das 22:00 e os ingressos estarão sendo vendidos no local na hora do show por R$ 15,00 (as primeiras 50 pessoas que entrarem ainda ganham uma cerveja Brahma 330ml).